Conheça a Criopreservação de Óvulos e Sêmem

Um dos métodos mais utilizados para a preservação da fertilidade é a criopreservação de sêmen ou óvulos. Atualmente, o tratamento de preservação da fertilidade conta com técnicas avançadas de reprodução assistida, dando ao paciente tempo hábil para começar um tratamento oncológico.
Para os homens o tratamento é muito simples e, em até cinco dias, podem ser recolhidas e armazenadas 2 ou 3 amostras de sêmen, que permitem uma excelente reserva reprodutiva.
No caso das mulheres, a preservação do potencial reprodutivo é feita, principalmente, utilizando a tecnologia de congelamento de óvulos. Um procedimento simples e muito utilizado em todo mundo.

 

Confira a seguir as técnicas para preservação da fertilidade:

- Criopreservação de Sêmen: técnica amplamente utilizada e consolidada, pois faz parte da rotina dos laboratórios preservar espermatozoides. Os espermatozoides são células que respondem muito bem ao congelamento e descongelamento, apresentando altíssimas taxas de sobrevivência.
Não existe tempo limite de congelamento, tanto que há casos registrados de crianças nascidas com mais de 20 anos de congelamento de sêmen. O ideal é que o homem realize a coleta por masturbação no laboratório, totalizando três amostras seminais em dias diferentes para o armazenamento, não sendo necessário nenhum preparo especial por parte do paciente. Nos casos em que não haja tempo antes do tratamento de quimioterapia, pelo menos uma amostra deverá ser colhida.

 

- Criopreservação de Embriões: uma das maneiras mais comuns e consolidadas de preservar a capacidade da paciente ou do casal de conceber no futuro. Antes do congelamento dos embriões, a paciente deve passar por um procedimento de Fertilização in Vitro (FIV), de se aguardar a menstruação.
Após a coleta de óvulos, os embriões são produzidos pela união do óvulo e do espermatozoide em laboratório, portanto, para esta técnica a paciente deve ter um parceiro. Os embriões morfologicamente viáveis são criopreservados no terceiro ou quinto dia de desenvolvimento, Com isso, após o final do tratamento do câncer, se a paciente decidir ter filhos, é possível transferir os embriões para o útero após um ciclo ovulatório ou com o auxílio de um preparo hormonal do endométrio mimetizando um ciclo ovulatório.
As taxas de sobrevivência embrionária ao processo de congelamento e descongelamento são elevadas e, com o aperfeiçoamento das técnicas de vitrificação, chegam a níveis superiores a 80%.

 

- Criopreservação de Óvulos: técnica mundialmente utilizada em que, antes de iniciá-la, a paciente passa por um período de indução da ovulação, com o objetivo de recrutamento e crescimento folicular, seguido de aspiração e identificação microscópica dos oócitos para sua vitrificação (congelamento).
Esse procedimento leva de 10 a 15 dias para ser realizado e não é necessário esperar pelo próximo ciclo menstrual, como era feito anteriormente. Durante esse período, ocorre a estimulação ovariana, coleta e vitrificação dos óvulos – congelamento rápido em nitrogênio líquido à baixíssima temperatura. Em casos de mulheres casadas, o congelamento de embriões também pode ser realizado.
No caso de óvulos imaturos – sem a etapa completa de indução da ovulação -, eles também podem ser criopreservados após passar por um processo de maturação in vitro, realizado antes ou após a preservação, tornando o processo ainda mais rápido.
Os óvulos podem ser criopreservados por tempo indeterminado. Atualmente, as taxas de sobrevivência ao descongelamento aproximam-se a 85% com as técnicas de vitrificação.
Este procedimento é muito bem indicado para mulheres solteiras, já que a etapa de fertilização com espermatozoides não precisa ser realizada.

Sexta-feira, 15 de Junho de 2018
Voltar
fb.com/progenese
|
46 3220 2969
|
Av. Brasil, nº450, sala 1002 - 10º andar, Ed. Max Saúde.