Superando a Infertilidade Maculina

Quase todos os homens, em algum momento, terão o desejo de ser pais. Diante de um quadro de infertilidade masculina, a orientação é consultar um profissional especialista para compreender as causas e superá-las. A infertilidade pode ser causada por uma doença única, mas também é muito comum a associação de diferentes fatores que podem levar a uma considerável redução do potencial fértil. O exame físico da bolsa testicular e o espermograma são essenciais para que o Médico Especialista em Reprodução Humana possa avaliar corretamente o potencial reprodutivo masculino.


A varicocele, doença que acomete os vasos testiculares e, diagnosticada por meio do exame físico, é a principal causa de redução do potencial fértil dos homens, responsável por até 40% dos casos de infertilidade masculina primária.

 

Uma pequena parcela dos homens inférteis, ao fazer o exame de espermograma, depara-se com a ausência de espermatozoides (azoospermia) no ejaculado. Nesses casos, devem-se avaliar tanto as doenças que impedem a saída de espermatozoides (fibrose cística, por exemplo), quanto as situações que interfiram na própria produção pelo testículo, como alterações genéticas, testículos criptorquídicos, ou seja, aqueles que permanecem fora da bolsa testicular e disfunções hormonais.

 

Além da presença de doenças especificamente relacionadas à fertilidade, é importante ressaltar que os hábitos de vida, pouco saudáveis, também afetam negativamente a produção de espermatozoides, tais como: tabagismo, o uso de drogas recreativas (maconha, cocaína), o uso de anabolizantes (testosterona), exercícios físicos em excesso, obesidade, exposição a produtos tóxicos e à poluição, estresse e má nutrição.

 

O impacto da idade do homem na fertilidade masculina tem sido bastante pesquisado nos últimos anos. Estudos recentes mostram que não é apenas a idade materna que influencia no potencial de gravidez do casal. Quanto maior a idade paterna maiores são as chances de ocorrerem alterações na produção e na qualidade dos espermatozoides. Isso pode trazer inúmeras consequências, como: 1) dificuldade na formação de um embrião, 2) maior risco de perda precoce da gestação, 3) um maior risco de síndromes genéticas e de outras doenças.

 

Orientamos sempre consultar um medico especialista.

Quarta-feira, 30 de Maio de 2018
Voltar
fb.com/progenese
|
46 3220 2969
|
Av. Brasil, nº450, sala 1002 - 10º andar, Ed. Max Saúde.